domingo, 5 de fevereiro de 2012

Diaethria clymena janeira (C. Felder, 1862), foto por: A. Soares

Diaethria clymena janeira, A. Soares, Rev. Eco. do Guapiaçu (REGUA), Cach. de Macacu, RJ.
Clique na foto para vê-la ampliada!

O autor, a espécie e a foto

Em foto de Alexandre Soares (52 anos, biólogo), feita em 25-III-2011, temos aqui nossa quarta participação do público! Trata-se de uma boa imagem de Diaethria clymena janeira (C. Felder, 1862), lepidóptero da família Nymphalidae, subfamília Biblidinae, colhida utilizando-se uma Sony Cyber-shot DSC-W330 (com 14.1m.pixels), na Reserva Ecológica do Guapiaçu (REGUA), em Cachoeiras de Macacu, RJ. A foto foi tirada em um início de uma manhã parcialmente nublada, aproximadamente às 9h:30min, utilizando-se a lente padrão da máquina.

Biologia

Nesta foto, feita na área dos banhados da REGUA, vemos a borboleta pousada sobre uma folha de um pé de candiúva ou grandiúva, Trema micrantha (L.) Blume, uma planta da família Cannabaceae, pioneira típica desse ecossistema que  foi degradado no passado, mas que agora encontra-se repovoado graças ao inédito projeto de restauração. D. clymena janeira (C. Felder, 1862), espécie abundante que tanto pode habitar a área ensolarada (heliófila) quanto à sombreada (umbrófila), onde procura frutos maduros caídos ao chão para se alimentar sugando o sumo desses. É uma espécie ocorrente nas florestas primárias e secundárias, habitat em que suas fêmeas podem ser vistas frequentemente sobrevoando as proximidades da planta alimento das lagartas, a candiúva. Seu voo é normalmente lento pairando ao redor do perímetro superior ou inferior da copa da árvore onde desovará. Postura esta que é realizada de modo isolado para cada ovo. Já os seus machos podem ser observados voando sobre praias de rio ou poças de água, aonde pousam para beber de água com sais.

Lagartas apresentam variação cromática conforme seus estágios de vida. No último são rugosas com cores: verde no dorso e mais esbranquiçada no ventre. Ainda se destacam, na cabeça dessa bela larva: um par de prolongamentos espinhosos e ramificados, voltados para frente e de cores negra (nos espinhos laterais) e avermelhada (na haste central).  Têm hábito diurno e se alimentam de candiúva, Trema micrantha (L.) Blume, uma planta da família Cannabaceae. É uma espécie que vive na face superior da folha até a formação da crisálida que se efetua sobre a folha do vegetal, fato incomum entre as borboletas da família Nymphalidae (Otero & Marigo, 1990).
A. Soares

Nenhum comentário:

Postar um comentário